Photo-21
August 5, 2011 Notícias Nenhum Comentário

Todo crescimento exige mudanças e aperfeiçoamentos, com o setor florestal não é diferente. O aumento de áreas plantadas é observado com atenção e otimismo nos últimos tempos. Ano após ano, reflorestadoras aumentam as áreas plantadas e novos investidores acreditam no setor florestal, incentivados pelo aumento da demanda da matéria-prima. Com ele alguns problemas técnicos acabam ocorrendo, como a falta de mão de obra especializada para realizar a manutenção dos equipamentos, por exemplo. Esta realidade fez com que a Malinovski desenvolve-se o Curso de Aperfeiçoamento em Gestão de Manutenção de Máquinas Florestais para atender a necessidade das empresas de base florestal. A primeira edição do evento aconteceu neste mês em Curitiba (PR), nos dias 03 e 04. “Os investimentos para a mecanização florestal geralmente são altos e para que os mesmos se justifiquem é necessário ter uma alta disponibilidade para o trabalho. Esse objetivo pode ser alcançado principalmente através da gestão e execução da manutenção com alta performance, detalhes esclarecidos durante o curso”, explica Rafael Malinovski.

Para auxiliar os 42 participantes, do Brasil e exterior, a otimizar o processo o Curso, que teve como instrutor o professor mestre em engenharia, José Eduardo Paccola, foi dividido em 4 módulos: visão geral e estratégia de manutenção de máquinas florestais; planejamento e controle da manutenção de máquinas florestais; execução da manutenção; e aperfeiçoando programas de manutenção de máquinas florestais. “Com os módulos desejamos mostrar que um bom planejamento de manutenção é um excelente ponto de partida para atingir uma disponibilidade mecânica da frota que atenda às necessidades operacionais”, destacou Paccola. Além disto, o curso destacou as diversas condições do campo que geram dificuldades ao trabalho do técnico, durante a manutenção de máquinas florestais, assim como os cuidados com a segurança profissional e as questões ambientais envolvidas no processo.

A empresa portuguesa TimBérica – Peças e Máquinas Florestais, participou do curso, e segundo João Pedro Martins o tema apresentado é extremamente relevante. “Sabemos que a gestão e manutenção dos equipamentos é um fator-chave para o sucesso da nossa empresa, que trabalha com o comércio de máquinas para operação florestal”, destacou. Para ele o curso focou com clareza as vertentes técnicas e práticas desta temática. Para Alvaro Sebastian Torres Maccio da empresa uruguaia Teyma, o curso foi enriquecedor. “Fiquei muito satisfeito. Como sugestão para a próxima edição, seria interessante uma visita a campo”.

A possibilidade de trocar experiências sobre as dificuldades que envolvem o tema foi destacada pelo profissional da Arauco do Brasil, Tiago Bissoli Moreira. “A gestão de manutenção de máquinas é um assunto que envolve a grande maioria das empresas florestais no Brasil, por isto, aprender trocando informações com profissionais de todo o país e exterior é excelente”, afirmou. Para ele, ter em mãos o controle e planejamento das atividades florestais faz com que a produção seja atingida mês após mês, sem que a frota fique parada. “É de suma importância, pois tem garantido o sucesso da empresa no mercado”, finaliza.

A Floresteca trabalha com foco na melhoria contínua de processos e operações florestais através da aplicação do ciclo Pdca (Planejamento, Execução, Controle, Ação) dentro do sistema de gestão, por este motivo, participou do curso. “Com ele tive a oportunidade de identificar referências de excelência na gestão e manutenção de máquinas através da troca de experiências com gestores das principais empresas do setor, possibilitando a implantação de melhorias em minha empresa”, disse Acássio Farias Barbosa. Na opinião dele, o curso foi de alto nível de qualidade porque abordou aspectos práticos e teóricos e promoveu a discussão de profissionais com larga experiência sobre os principais problemas da manutenção.

Empresa de atuação no setor de celulose, Veracel, também participou do curso. Para Thiago Petine o principal motivo para participar do curso foi o aperfeiçoamento na gestão de máquinas e equipamentos florestais. “Tive a oportunidade de relembrar conceitos e práticas de excelência. Com ele podemos melhorar os controles e planejamento das atividades de manutenção, podendo assim gerir melhor os recursos, custos e performance dos equipamentos envolvidos no processo florestal”, detalhou.

Para Filipe Cintra Pacetta, da Frigg Florestal, o curso foi essencial para adquirir novos conhecimentos. “Somos novos no Mato Grosso do Sul e temos dificuldades em relação a assistência técnica, por isto, o curso nos ajudou muito”, afirmou.

Buscando maior conhecimento técnico na área, o profissional da Aperam Bioenergia, Polibio Martins Nogueira, participou do curso confirmando a importância do controle e planejamento da manutenção florestal. “Foi possível trocar experiências e trazer uma bagagem valiosa de informações a serem utilizadas no dia a dia da empresa”, comemorou.

Matéria Publicada na Revista Referência

Fonte: Revista Referência
Jornalista: Giovana Massetto

Escrito por Giovana Massetto