Photo-02
March 17, 2016 Notícias Nenhum Comentário

O mês de março de 2016, ficará na lembrança do setor industrial como um marco de força para o segmento madeireiro e do uso da madeira na construção civil. Mesmo em dias difíceis vividos pela economia brasileira, a Lignum Brasil e 2ª ExpoMadeira & Construção, feiras realizadas nos dias 09, 10 e 11 deste mês, foram um sucesso, reunindo 5.169 visitantes, de 22 estados e 11 países. As negociações realizadas nos três dias dos eventos, geraram mais de 53 milhões de reais em vendas e prospecções. “Este valor só confirma a carência, vivida até então, de uma feira forte e o potencial do segmento”, afirmou Jorge R. Malinovski, diretor geral da Lignum Brasil.

A Lignum Brasil e a 2ª Expo Madeira & Construção contaram com 71 empresas expositoras, que apresentaram máquinas e equipamentos para a transformação, beneficiamento, energia e uso da madeira, assim como as últimas tendências e soluções para a aplicação da madeira na construção civil.

De acordo com a organização, a próxima edição da Lignum Brasil e Expo Madeira & Construção está programada para em 2018.

Cerimônia de abertura

No dia 09 de março, aconteceu a solenidade oficial de lançamento da Lignum Brasil e da 2ª Expo Madeira & Construção. Na ocasião, as falas dos representantes apresentaram as dificuldades que o setor industrial madeireiro enfrenta e apresentaram possíveis soluções para superar essa situação. O primeiro a falar foi Flavio Geraldo, presidente da ABPM (Associação Brasileira de Preservadores de Madeira). Ele destacou a importância do setor para a economia brasileira. “Ele é fundamental para a conservação ambiental e sustentabilidade, já que a madeira é um material renovável de ciclo curto”, ressaltou. Flávio também falou que a SIM – Semana Internacional da Madeira acontece no momento certo e em local estratégico. “Os eventos organizados oferecem aos participantes oportunidades de troca de conhecimento técnico e científico, proporcionando também um ambiente favorável e interações comerciais em nível nacional e internacional”, acredita.

Na sequência, Benno Doetzer, diretor-presidente do Instituto de Florestas do Paraná, representando Norberto Ortigara, secretário da Agricultura e do Abastecimento do Estado do Paraná, ressaltou a importância das florestas plantadas para o Estado e como eventos sobre madeira são importantes. Ele afirmou que o Estado busca constantemente realizar políticas para o desenvolvimento do setor. “Eventos como a Lignum Brasil incentivam o fortalecimento do setor madeireiro. É um prazer fazer parte desse projeto”, afirmou.

A ABIMAQ (Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos) estava representada por Marcos Müller, presidente da Câmara Setorial de Máquinas para Madeira. Para Müller, a Lignum Brasil é uma excelente oportunidade para a realização de negócios e para fomentar o desenvolvimento tecnológico das empresas nacionais. “O Brasil está em um nível bastante avançado no quesito florestal e nos produtos madeirados exportados, mas as indústrias ainda estão carentes de tecnologia. A Lignum Brasil acontece justamente para sanar essa lacuna”, destacou.

Paulo Pupo, vice-presidente da FIEP (Federação das Indústrias do Estado do Paraná) e superintendente da ABIMCI (Associação Brasileira da Indústria da Madeira Processada Mecanicamente), reconheceu que o cenário econômico brasileiro está ruim, mas que existem formas de superar essa situação, um exemplo, é a exportação e o fortalecimento do setor. “Parabenizo a organização pela iniciativa, o setor industrial madeireiro precisa se unir para avançar e se consolidar como fundamental para a economia brasileira.”

A APRE (Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal), realizadora da 2ª Expo Madeira & Construção, também estava presente por meio de seu diretor-executivo Carlos Mendes. Ele destacou que o evento tem como objetivo mostrar as boas práticas para o uso da madeira em construções sustentáveis. Afinal, a madeira proveniente de florestas plantadas é sustentável, renovável e tem uma beleza incomparável.

Finalizando, Jorge Malinovski, diretor geral da Lignum Brasil, agradeceu as associações parceiras e ressaltou que as feiras têm como principal meta apresentar para os profissionais do setor as tecnologias que estão disponíveis no mercado, gerar network e, negócios.

Associações apoiadoras das feiras também estiveram presentes durante os três dias do evento. Uma delas foi a ACR (Associação Catarinense de Empresas Florestais), que acreditou na força e importância das feiras desde o início. “Realmente o setor estava deficitário de uma feira neste estilo, que há anos não acontecia. A Lignum Brasil veio para sacramentar a indústria de máquinas e tende a evoluir e crescer a cada edição. Ao caminhar pelos corredores, percebemos a presença de vários associados se fazendo presente e buscando atualização”, afirmou Mauro Murara, diretor-executivo da associação.

Escrito por Giovana Massetto